sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Cosmo cão 2ª Parte

O jovem Cosmo aprende a falar o inglês, o português e o russo, tudo isso graças a três anos de televisão via satélite, sua mente era rápida como a de uma criança de dez anos. Cosmo é na realidade um cachorro que viveu onze, mas tem sessenta e dois anos devido a seu misterioso passado.
Richard esta agora com quase vinte seis e tem progredido bastante com seus estudos sobre esse fenômeno que é Cosmo. Sozinho o cachorro é capaz de consumir quase oito quilos de ração à cada dia, em experimentos com esteira sua capacidade de resistência pulmonar é impecável, ele corre a velocidades superiores a dos carros e uma vez Richard arremessou um frisbie para depois da rebentação cerca de noventa metros no mar, Cosmo foi capaz de se arremessar até o ponto em que o disco caiu.
Desajeitado e molhado ele nadou para praia e prontamente se sacudiu ao lado de seu melhor amigo. Richard tomava nota, conduzindo os experimentos somente durante os primeiros raios de sol.
Cosmo apresentava curiosidade, demandava muita atenção e tempo livre, o mundo era pequeno demais para ele, odores de pessoas, automóveis, remédios, drogas, perfumes e o cheiro mais excitante que ela já sentiu em sua vida, o da cadela de um morador há algumas quadras da casa de Richard. Mesmo tendo sido alertado para não sair das dependências da casa Cosmo se sentiu compelido a escapar por uma janela invadindo o quintal do vizinho e fazendo o que um cão sabe fazer de melhor, estilo cachorrinho...
O vizinho bem, não gostou nada do comportamento de Cosmo e tentou lhe expulsar a vassouradas de cima de sua Collie no cio, mas de nada adiantou, Cosmo foi persistente e conseguiu terminar o que queria. Debaixo de vassouradas incomodas ele se pôs a correr e saltar de alegria nas movimentadas estradas de Malibu, ele perseguiu uma Ferrari Maranelo, uma gangue de motoqueiros, uma Lamborghini Gallardo e um caminhão que carregava lingüiças, que acabou virado em um acesso de rodovia...
Richard acorda de sua soneca da tarde com o barulho do noticiário televisivo:
-Sim parecia um cachorro correndo ao lado do meu carro. Dava para ver até a língua dele pra fora, e olha que eu estava a umas cento e trinta milhas por hora.
A repórter tira o microfone do rosto do patrício e se dirige a um homem com uniforme de uma empresa de entregas e uma expressão preocupada:
-E o senhor, o que viu quando seu caminhão tombou?
-Olha dona repórter de inicio eu não vi nada só vidro estilhaçado, quando me recuperei sai do caminhão pra ver o que aconteceu. Dei de cara com um cachorrão preto dos olhos amarelos, comendo as lingüiças como quem come doce. Tomara que eu não perca o emprego.
Richard desliga a televisão perplexo e desorientado, começa a procurar por Cosmo e o encontra deitado de barriga para cima no tapete da sala. Ele abre a boca do cachorro e sente o cheiro das lingüiças...
Quando Cosmo acorda Richard esta na frente de um quadro escrevendo uma série de anotações ele olha para Cosmo e diz:
-Você sabe o que você fez Cosmo?
-Me desculpe Richard, eu sei que eu fiz errado...
-Você não só fez errado, como você me pôs em risco também.
-Eu não fiz por mal Ricky, minhas pernas tremeram foi a Cadela do vizinho, o cheiro era muito bom.
-E depois?
-Eu corri a vontade de correr era grande, eu tinha fome também, o caminhão caiu sem querer eu estava correndo em baixo dele enquanto apreciava o cheiro, acabei me distraindo e entrando na roda dele...
-Espero que sua escapada tenha valido a pena Cosmo, por que agora eles vão vir aqui vão tentar pegar você e vão me levar com certeza, mas que porcaria Cosmo! Quantas mil vezes eu já não lhe disse "Não saia da casa a não ser que ela esteja pegando fogo"?
-Muitas...
-Fica agora claro que diferente dos homens o seu desejo por sexo é puramente instintivo, Cosmo você não esta entendendo eles vão procurar investigar e vão achar você e nos separar meu camarada canino.
-Como assim Ricky quem são eles?
-O governo Cosmo o governo as empresas, quem der o lance mais alto.
-Como assim? Eu posso sempre fugir.
-Você pode Cosmo, mas eu não...

Um dia e Richard foi abduzido por homens do governo enquanto fazia compras em um mercadinho coreano, dois dias depois foi à vez de Cosmo que só se deu por vencido depois de ser perseguido por carros de policia e helicópteros do governo, após cinco horas respirando gases tóxicos e levando dardos tranqüilizantes incessantemente ele desmaia sob efeito das drogas...



2 comentários:

Eduardo Ferreira disse...

porra vacilo com o cosmo cão, maldito instinto canino de se preocupar com a matilha.

tá muito foda

uma nota: cães com poderes ou não podem perceber uma cadela no cio a muito mais que essa distância marcelleza.

Julia disse...

me dá seu email então doidão
o meu é julialibanio91@hotmail.com
beijundas