quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Metade dos ossos

Vamos enfrentar, defender ou atacar?
Mentiras são belas como são as novelas,
Verdades são cruas como a realidade.

Vamos morrer, matar ou vender?
Inseguros e imaturos, somos todos vagabundos.
Odiados ou aclamados, todos estamos no mesmo barco...

Salgado é sabor da pele suja.
Amargo tem gosto velho de madeira.
Doce incolor sem sombra sem calor, eu nunca e eu sempre...
Sinta, entre nesse domínio desconhecido que é metade dos ossos de nossos ancestrais.

Um comentário:

trapaceiro disse...

poesia punk. direto do tunel do tempo da nossa adolescencia regada a showzinhos vagabundos e divertidos