terça-feira, 16 de junho de 2009

Sem beijos e cem numeros

Parentes parecem vazios comparados ao gosto da sua saliva, minha querida e amada vida.
Cascas se quebrando no perfeito oceano de sonhos românticos, é fútil, inocente e prazeroso, afinal de contas a lagosta viva cai na água quente para alimentar as minorias.
Riqueza é sorte e velhice, enquanto juventude é aleatoriedade determinante. Homens e mulheres que se amam tem filhos, homossexuais que se amam não tem, mas desejam. Alguns conseguem e outros escolhem não se reproduzir, alguns alugam bucetas e outras alugam um caralho...

Somos filhos da duvida, os dínamos do futuro imprevisível, dispostos a falhar no acerto e conquistar no fracasso, armados com cem beijos e sem noção dos números, arremessamos nossas vidas à morte, pois já temos a certeza de que vencemos.
Eu me sinto grande sabendo que as verdades não passam de mentiras bem elaboradas.

3 comentários:

Eduardo Ferreira disse...

marcello david mandando a crueza da vida pela goela abaixo.

pedro disse...

um dos textos seus que eu mais gostei.
Meu líder

hierofante disse...

"Somos filhos da duvida, os dínamos do futuro imprevisível, dispostos a falhar no acerto e conquistar no fracasso, armados com cem beijos e sem noção dos números, arremessamos nossas vidas à morte, pois já temos a certeza de que vencemos."
...
c a r a l h o .
...
agora só falta produzir mais e mais rápido. disciplina. muito bom velho.